Página Principal seta Biblioteca seta Economia seta Custos - Administração e Contabilidade

Não Encontrou? Pesquise Aqui!

Custos - Administração e Contabilidade Imprimir E-mail
Escrito por felipe eduardo pinheiro   


Bookmark and Share

Custos Conceitos:  A contabilidade de custos surgiu junto com a revolução industrial, como tentativa de se elaborar um inventário disponível em um determinado período operacional para identificação de valores de produtos fabricados e vendidos. Com o seu desenvolvimento, a complexidade dos métodos contábeis tornou-se maior, e logo, os custos de fabricação eram solucionados cada vez mais rápido. Foram estes métodos cada vez mais aperfeiçoados que deram origem a contabilidade de custo.  Atualmente, a contabilidade de custos é um grande sistema de informações gerenciais.Para nos aprofundarmos mais no assunto, é necessário ressaltar alguns conceitos, tais como:Custo: É o valor de bens e serviços consumidos na produção de outros bens e serviços.Despesa: É o valor dos bens ou serviços não relacionados diretamente com a produção de outros bens ou serviços consumidos em um determinado período.Gasto: É o valor dos bens ou serviços adquiridos.Desembolso: É o pagamento resultante das aquisições de bens ou serviços.Perda: É o valor dos bens ou serviços consumidos de forma anormal e involuntária.Desperdício: É o consumo intencional, e não direcionado à produção de um bem ou serviço.Pode-se definir uma classificação para os objetivos da contabilidade de custo:Inventariar os produtos fabricados e vendidos.Planejar e controlar as atividades empresariais.Servir como instrumento para tomada de decisões.Podemos dividir os custos em dois grupos: 1) Custos primários (voluntários). 1.1)”Custo dos Fatores”: pagamento aos fornecedores dos fatores da produção. 1.2)”Custo de Uso”: 1°-Utilização de bens adquiridos de outros empresários. 2°-Depreciação do capital fixo (equipamentos). 2) Custos suplementares (involuntários). 2.1)”Custo de Obsolescência”: O equipamento com o passar do tempo perde seu valor, devido ao desgaste natural das máquinas ou á existência de equipamentos mais modernos. Isso diminui o capital, porém é previsto pelo empresário, o que provoca nas indústrias um aumento de custos com equipamentos obsoletos. Com isso há um “desinvestimento”, que é quando a empresa desativa os equipamentos de produção danificados ou ultrapassados. 2.2)”Custo Fortuito” (involuntário): O capital pode ser reduzido por uma série de fatores. Por isso deve-se reconhecer a redução do capital e do patrimônio da empresa. Nossa legislação prevê o acontecimento de tais ocorrências, permitindo a regularização de seus registros contábeis, para que seja retratada a verdadeira situação econômico-financeira da empresa. Veremos agora a fórmula que mostra a igualdade da produção global do sistema econômico na micro e na macroeconomia:    Produção global = Consumo + Investimento = Renda global. Com base nos dados acima, podemos afirmar que toda produção econômica tem um custo que influi na formação do preço de venda para o consumidor, adotando qualquer metodologia para o seu cálculo.  Custos de Produção – Agroindústria de processamento de uva Viabilidade financeira   A análise financeira da agroindústria inicia pela definição do volume de produção que a empresa pretende fabricar. Depois, calcula-se o investimento físico, definem-se e calculam-se os custos fixos, estimam-se os custos variáveis, projetam-se os custos totais, identificam-se os custos de comercialização e a margem de lucro, calcula-se o preço de venda, apuram-se as receitas e os resultados operacionais, projeta-se o investimento inicial e, para finalmente, analisar a viabilidade financeira do empreendimento.    Tem por objetivos a análise financeira: *Identificar o investimento físico e financeiro;*Estimar o volume de produção;*Definir os custos dos materiais diretos e da mão-de-obra;*Calcular os custos fixos e de produção;*Projetar as receitas operacionais;*Montar a tabela de resultados operacionais;*Conhecer o valor do investimento inicial;   Para realizar uma análise é importante:*Conhecer o tamanho do mercado consumidor para projetar o volume de produção;*Ter noção clara dos preços, prazos de entrega e de pagamento dos insumos a serem utilizados no processo produtivo, para determinar o custo médio de processamento e comercialização dos produtos;*Concepção clara do negócio para determinar e orçar o montante de investimentos físicos e financeiros;*Fazer o mapeamento do mercado e quais os preços médios dos concorrentes potenciais;   Toda atividade empresarial corre riscos.   Os valores que aparecerão foram calculados em R$ 1,00 (excluindo os centavos) sendo arredondado para mais aqueles iguais ou acima de R$ 0,50 e para menos os abaixo R$ 0,50. Volume de produção e investimento fixo   O ponto de partida do planejamento financeiro da agroindústria de processamento de uva é a definição de quanto irá ser produzido, não sendo uma definição aleatória, mas que depende do mercado que se pretende atingir, da disponibilidade de matéria-prima e da concorrência, também avaliando com cuidado a disponibilidade de capital próprio e de terceiros, calcular quanto será preciso gastar na montagem da empresa, ou seja, custo das máquinas, equipamentos, ferramentas, veículos, móveis, utensílios, imóveis tudo que compõem o investimento fixo. O que e quanto produzir  Para definir o volume de produção é preciso considerar:*A capacidade nominal de produção das máquinas, equipamentos e instalações além dos recursos financeiros; *Disponibilidade de matérias- primas, materiais secundários e embalagens;*Mão-de-obra disponível;   Caracterizando um volume anual de produção de vinagre da agroindústria de 20000 garrafas de 500 ml (34% da participação).  O custo de investimento é o quanto será preciso gastar na montagem da empresa. Para o processamento de vinagre são necessários os acetificadores, a máquina enchedora e a construção de um galpão  industrial de aprox 140 m² e 10% a mais dos custos totais para investimentos físicos. Tabela de investimento físico (valor suposto) Descrição     Custos diretos estão relacionados com a produção e a venda, os custos da empresa envolvem materiais diretos, esses materiais são as matérias-primas, materiais secundários, embalagens, mão- de- obra direta, salários e encargos sociais destes ligados diretamente a produção.   Os custos destes materiais variam muito de produto para produto. Tabela de custos anual dos materiais necessários para a produção de 20 mil garrafas de vinagre.     Mão- de obra direta são os operários que estão diretamente ligados ao volume de produção da agroindústria, já que o administrativo não interfere a produtividade se sua jornada de trabalho for diferente do operário.    Para o volume de produção definido para essa agroindústria são necessários, um técnico, um ecologista, e um auxiliar trabalhando em tempo integral e mais três empregados temporários trabalhando por trimestre. Custos Fixos   Os custos fixos são aqueles que ocorrem independentemente da produção ou das vendas. Os custos fixos anuais da empresa são as despesas de manutenção necessárias para manter o funcionamento da mesma. Sendo denominados também de custos de funcionamento ou custos de estrutura.   Geralmente estes custos são compostos pelos salários e encargos sociais do pessoal administrativo, aluguéis, pró-labore dos sócios, materiais de limpeza e profissionais como contadores, advogados etc. Gastos com depreciação, seguro e manutenção e seguros são calculados utilizando-se percentuais definidos em lei que incidem sobre o valor de cada bem. Custos finais de produção (CP)   O custo de produção é, portanto, igual a soma dos custos dos materiais diretos como o rateio dos custos fixos e dos custos da mão- de obra. Assim para saber o quanto realmente vai custar produzir cada garrafa de vinagre basta somar três itens: materiais diretos (MD), mão–de–obra direta (MO) e custo fixo (CF) e dividir o volume de produção (VP), ou seja:CP = (MD+ MO+ CF) / VP  Os rateios são calculados proporcionalmente ás quantidades fabricadas de cada produto. Para saber o valor do rateio dos custos de mão-de-obra e dos custos fixos do vinagre por exemplo, basta aplicar o percentual de participação do produto (neste caso 34%) sobre os valores do custo anual de mão-de-obra e do custo fixo para o mesmo caso.  O custo anual de produção ocorre da soma do custo dos materiais diretos para o mesmo produto com o rateio do custo de mão-de-obra direta e o rateio do custo fixo.  E, finalmente, para calcular o custo unitário de produção, basta dividir o custo anual de produção pela quantidade fabricada de cada produto, assim o custo unitário de produção é obtido pelo custo mensal de produção dividido pela quantidade anual de produção. 
 
< Anterior