Página Principal seta Biblioteca seta Química seta Reações Químicas

Não Encontrou? Pesquise Aqui!

Reações Químicas Imprimir E-mail
Escrito por SOS Estudante.com   


Bookmark and Share

 

São Mateus - ES, Novembro de 1998

SUMÁRIO

I - Introdução

II - Desenvolvimento

        2.1 - Leis da reações químicas

III - Conclusão

IV - Bibliografia

I - Introdução

            Tentar-se-à mostrar nesta obra uma pesquisa sobre a Lei das Reações Químicas, sempre tentando esclarecer ao leitor que a química e a evolução dos estudos químicos são como portas se abrindo diante de cientistas iluminados, a química não é complicada e muito menos são as descobertas, muitas vezes pensa-se que uma descoberta depende de anos de cálculos, milhares de números, mas a maioria das vezes é uma súbita  descoberta.

            Mostrar-se-à uma síntese das Leis das Reações Químicas, começando com Antoine-Laurent Lavoisier, criando os princípios básicos das combinações químicas até Gilbert Lewis elaborar uma teoria eletrônica de reações entre compostos como intercâmbios de elétrons.

II - Desenvolvimento

2.1 - Leis das reações químicas.

A estrutura metodológica criada pelo francês Antoine-Laurent Lavoisier, no final do século XVIII, foi consolidada, no início do século XIX, com a enunciação dos princípios básicos das combinações químicas.

A lei da conservação da massa, do próprio Lavoisier, afirma que, em todo processo químico, não ocorre perda de matéria, somente transformação. Assim, a massa das substâncias reagentes coincide com a dos produtos. Conforme mostrou Albert Einstein, no entanto, verifica-se transformação de massa em energia em certos processos de alteração de matéria, que recebem o nome de reações nucleares.

Joseph-Louis Proust enunciou a lei das proporções definidas, segundo a qual a combinação de dois ou mais elementos para formar um determinado composto se efetua sempre numa relação idêntica de pesos. O princípio das proporções múltiplas, devido a John Dalton, propõe uma relação múltipla, ainda que limitada, entre os pesos dos vários elementos, que se combinam para formar vários compostos da mesma família.

O químico alemão Jeremias Richter descobriu a lei das proporções recíprocas, segundo a qual todos os elementos químicos reagem entre si para formar qualquer tipo de compostos, de acordo com um conjunto de relações numéricas simples. Esse valor de reação, característico para cada elemento químico, é denominado equivalente-grama ou equivalente químico. Define-se como a quantidade de elemento que desloca, ou se combina, com oito partes de oxigênio. A lei dos volumes de combinação, demonstrada por Gay-Lussac, postula que, nas reações químicas, os gases são obtidos e se conjugam em relações numéricas simples.

A conjunção teórica das leis das combinações químicas levou à hipótese atômica de John Dalton. Publicada em 1808, a hipótese pode ser resumida em dois princípios: as espécies químicas são compostas de unidades indivisíveis e básicas chamadas átomos, e os átomos de um elemento são idênticos entre si e diferentes dos átomos de outros elementos.

A idéia de Amedeo Avogadro de tomar a molécula, ou agrupamento de átomos, como unidade que define a estrutura interna dos compostos concluiu o modelo clássico da química do século XIX. A teoria das partículas, desenvolvida no século XX, modificou algumas dessas concepções ao questionar a indivisibilidade do átomo e verificar a existência dos isótopos, átomos ligeiramente distintos pertencentes a um mesmo elemento.

Niels Bohr propôs um modelo de átomo formado por um núcleo central e níveis periféricos de energia ocupados por partículas elementares de carga elétrica negativa, denominadas elétrons. Inspirado nas idéias de Bohr, Gilbert Lewis elaborou uma teoria eletrônica de reações entre compostos como intercâmbios de elétrons. Essas partículas formam diferentes ligações, cuja natureza e distribuição determina as moléculas resultantes. De acordo com essa hipótese, os elétrons da última camada da estrutura atômica são os responsáveis diretos pelas combinações químicas.

III - Conclusão

            Conclui-se que as Leis das Reações Químicas foi um conjunto de descobertas importantíssimas para o progressos dos estudos químicos, e de todas as ciências que dela depende. Vários foram os cientistas que colaboraram para a complementação e término dessas leis, dentre eles podemos citar: Antoine-Laurent Lavoisier, Albert Einstein, Joseph-Louis Proust, John Dalton, Jeremias Richter, Gay-Lussac, Amedeo Avogadro, Niels Bohr, Gilbert Lewis, e alguns outros anônimos.  Essas leis compreendem um universo ilimitado de dúvidas e questionamentos sobre tal, o que, conseqüentemente, gera estudos e  descobertas como num ciclo aberto. 

 
< Anterior   Próximo >