Página Principal seta Resumos de Livros seta Resumos A seta Alemanha

Não Encontrou? Pesquise Aqui!

Alemanha Imprimir E-mail
Escrito por Calmera   


Bookmark and Share

A Alemanha (em alemão: Deutschland) é um país da Europa ocidental membro da União Européia. O Estado alemão é uma república federal parlamentarista, limitada a norte pelo Mar do Norte, pela Dinamarca e pelo Mar Báltico, a leste pela Polónia e pela República Checa, a sul pela Áustria e pela Suíça e a oeste pela França, Luxemburgo, Bélgica e Países Baixos. A capital é Berlim e a língua nacional oficial é o alemão.

A Alemanha (em alemão: Deutschland) é um país da Europa ocidental membro da União Européia. O Estado alemão é uma república federal parlamentarista, limitada a norte pelo Mar do Norte, pela Dinamarca e pelo Mar Báltico, a leste pela Polónia e pela República Checa, a sul pela Áustria e pela Suíça e a oeste pela França, Luxemburgo, Bélgica e Países Baixos. A capital é Berlim e a língua nacional oficial é o alemão.

O termo "Alemanha" deriva do francês Allemagne (ou terra dos alamanos), em referência a um povo bárbaro que vivia na atual região fronteiriça entre França e Alemanha, o qual cruzou o Rio Reno e invadiu a Gália Romana durante o século V.

Durante a maior parte da sua história, a Alemanha foi um termo geográfico utilizado para designar uma área ocupada por vários reinos. Tornou-se um Estado unificado durante 74 anos (1871 - 1945), porém foi dividida ao término da Segunda Guerra Mundial em Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental.

A 3 de outubro de 1990, a Alemanha Oriental passou a fazer parte da Alemanha Ocidental, e assim a Alemanha tornou-se novamente uma nação unida. Actualmente a Alemanha carrega o título de nação mais poderosa da Europa, graças à sua grande economia e desenvolvimento tecnológico.



História

A língua alemã e o sentimento de pertença à nação alemã existem há mais de mil anos, mas o país conhecido agora como Alemanha só foi unificado em 1871 em Versalhes, quando o Império Alemão, dirigido pela Prússia, foi constituído.

O Sacro Império Romano Germânico, que existiu desde o século VIII d.C. até 1806, é considerado o primeiro Reich alemão (Reich = Império, em alemão, termo usado para descrever os sucessivos períodos históricos do povo alemão). No momento de maior extensão territorial, o Império incluía o que são hoje a Alemanha, a Áustria, a Eslovênia, a República Tcheca, o oeste da Polônia, os Países Baixos, o leste da França, a Suíça e partes da Itália central e setentrional. A partir de meados do século XV, passou a ser conhecido como o "Sacro Império Romano da Nação Germânica". O Império Alemão de 1871-1918 é chamado de o Segundo Reich, de modo a indicar a sua descendência do império medieval. Segundo o mesmo raciocínio, Adolf Hitler referia-se à Alemanha Nazista (1933-1945) como o Terceiro Reich.

Para os propósitos deste artigo, o termo "germanos" será usado para referir-se ao grupo ou grupos étnicos oriundos da Idade do Bronze Nórdica, que falavam línguas germânicas e ocupavam a chamada Germânia. A partir do período histórico do Sacro Império, será empregado o termo "alemães" para designar os habitantes do Império.


Governo e Política

Angela Merkel é a atual Chanceler do país. Angela Merkel é a atual Chanceler do país.

A Alemanha é uma federação democrática e parlamentária, cujo sistema político é definido na constituição de 1949 (com emendas), chamada Grundgesetz. Possui um sistema parlamentário, no qual se elege o chefe de governo, chamado de Bundeskanzler (chanceler federal).

O parlamento, denominado Bundestag (assembléia federal) é composto por eleições a cada quatro anos por voto popular e um complexo sistema que combina a representação direta e proporcional. Os 16 estados (Bundesländer) estão representados a nivel federal pelo Bundesrat (conselho federal). Ocasionalmente há conflitos entre o Bundestag e o Bundesrat, que criam dificuldades administrativas.

A função do chefe de estado é cumprida pelo Bundespräsident (presidente federal), cujos poderes se limitam a tarefas cerimoniais e representativas.


União Européia

No Parlamento da União Européia, a Alemanha goza da representação mais numerosa em virtude de ser o país mais populoso da União. Além disso, o alemão Günter Verheugen é, atualmente, um dos vice-presidentes da Comissão Européia.

A presidência alemã do Conselho da União Européia está marcada para o primeiro semestre de 2007, dentro do sistema de administração rotativa da UE. Como Angela Merkel é a atual primeira-ministra da Alemanha, o ministro das relações exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier será o Presidente da União Européia.

Desde que se iniciou o processo de administração rotativa, é a 12ª vez que a Alemanha assume a presidência da UE. A última vez foi no primeiro semestre de 1999, com a presidência de Joschka Fischer.


Divisão Administrativa da Alemanha

Mapa dos estados alemães numeradosEstadoCapitalTerritório (km²)Habitantes(2)
1 Baden-Württemberg Estugarda 35.751,65 10.717.000
2 Baviera Munique 70.549,19 12.444.000
3 Berlim Berlim(1) 891,75 3.388.000
4 Brandenburgo Potsdam 29.477,16 2.568.000
5 Bremen Bremen(1) 404,23 663.000
6 Hamburgo Hamburgo(1) 755,16 1.735.000
7 Hessen Wiesbaden 21.114,72 6.098.000
8 Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental Schwerin 23.174,17 1.720.000
9 Baixa-Saxônia Hannover 47.618,24 8.001.000
10 Renânia do Norte-Vestefália Dusseldórfia 34.042,52 18.075.000
11 Renânia-Palatinado Mainz 19.847,39 4.061.000
12 Sarre Saarbrücken 2.568,65 1.056.000
13 Saxônia Dresda 18.415,66 4.296.000
14 Saxônia-Anhalt Magdeburgo 20.445,26 2.494.000
15 Schleswig-Holstein Kiel 15.763,18 2.829.000
16 Turíngia Erfurt 16.172,14 2.355.000

(1) Cidades-estado. Bremen é considerada uma cidade-estado, mesmo que a cidade de Bremerhaven lhe pertença.
(2) Referente ao dia 31 de dezembro de 2004
O tamanho do território e o número de habitantes foram tirados de uma Estatística oficial.


Cidades

Na Alemanha existem 14 cidades com população superior a 500.000 habitantes. Dentre elas, estão a capital Berlim (a maior cidade alemã), Frankfurt (a cidade mais rica) e cinco cidades do Vale do Ruhr, na Renânia do Norte-Vestefália (o estado mais industrializado). As seis maiores cidades alemãs são:

  • 1° - Berlim : 3.405.259 habs.
  • 2° - Hamburgo : 1.754.317 habs.
  • 3° - Munique : 1.332.650 habs.
  • 4° - Colônia : 986.168 habs.
  • 5° - Frankfurt : 661.877 habs.
  • 6° - Stuttgart : 593.639 habs.

Regiões Metropolitanas

Na Alemanha há 11 regiões metropolitanas. As cinco principais são:

  • 1° - Reno-Ruhr : 12.073.995 habs.
  • 2° - Frankfurt : 5.894.090 habs.
  • 3° - Berlim : 5.862.460 habs.
  • 4° - Hamburgo : 4.266.000 habs.
  • 5° - Hanôver : 3.900.000 habs.

Economia

Frankfurt é o centro financeiro do país. Frankfurt é o centro financeiro do país.

A Alemanha é a maior economia da Europa e a terceira economia a nível mundial, atrás dos Estados Unidos da América (EUA) e do Japão, em termos de Produto Interno Bruto (PIB). O país é o grande líder mundial em número de exportações, domina quase 35% do transporte mundial de mercadorias pelo mar e concentra, no Vale do Ruhr, o maior complexo industrial da Europa. São de capital alemão empresas como Audi, Adidas, Allianz, Basf, Bayer, Bosch, BMW, Porsche, Deutsche Bank, Boehringer Ingelheim, Mercedes-Benz, Volkswagen, Siemens, Wella, Lufthansa, Hugo Boss, Daimler Chrysler, entre outras, que demonstram a força econômica alemã nos mais diversos segmentos de mercado. A segurança social tem um peso muito grande na economia e os alemães têm direitos sociais muito extensos. Os sistemas de Segurança Social são bastante desenvolvidos e têm uma longa tradição, que remonta ao governo de Bismarck, na época do Império Alemão, nos finais do século XIX. Há um conjunto de sistemas (ou caixas) que recebem contribuições dos seus membros (uma porcentagem dos rendimentos) e cobrem os custos (por exemplo as faturas de consultas médicas) sempre que necessário, num sistema semelhante ao dos seguros (ver por exemplo Berufsgenossenschaft, sistema que cobre os acidentes de trabalho e doenças profissionais).

Mercedes-Benz Classe S. Alemanha é o país líder em exportação entre 2003-2006. Mercedes-Benz Classe S. Alemanha é o país líder em exportação entre 2003-2006.

Antes de perder o poder em Outubro de 2005, o governo Social Democrata (SPD) de Gerhard Schröder tentou reformar a segurança social com o objetivo de reduzir o seu peso sobre a economia. A reunificação teve um impacto significativo no crescimento da parte ocidental da Alemanha.

A capital financeira da Alemanha é Frankfurt, onde se localiza a maior e mais importante Bolsa de Valores da Europa, a Bolsa de Valores de Frankfurt.


Infra-estrutura

Aeroporto da região Reno-Meno, melhor aeroporto de carga do mundo e terceiro da Europa em número de passageiros depois de London-Heathrow e Paris Aeroporto da região Reno-Meno, melhor aeroporto de carga do mundo e terceiro da Europa em número de passageiros depois de London-Heathrow e Paris

Desde os anos de 1930, da época do Terceiro Reich, iniciara-se na Alemanha a construção da primeira rede de auto-estradas em grande escala no mundo. Atualmente, o país dispõe de vias de comunicação rápidas (Autobahn, Autobahnen no plural) que somam mais de 11.980 km de extensão, o que faz da Alemanha o país com maior densidade de estradas por veículos.

A totalidade de auto-estradas do país são gratuitas para veículos particulares; a partir de 2005, os caminhões de carga devem pagar um pedágio que se desconta automaticamente via satélite.

A Alemanha é lider mundial na construção de canais. Este tipo de construção milenário foi reimpulsionado a partir do século XIX. O Canal de Kiel, que une o mar do Norte com o mar Báltico, é um dos mais imponentes. Inúeros canais fluviais, como o Reno-Meno-Danúbio, o Dortmund-Ems e o Elba-Seitenkanal, dão ao país uma completa rede de canais.

Por outro lado, as energias renováveis da Alemanha representam um papel crescente no desenvolvimento do país, especialmente desde que o partido Die Grünen (Partido Verde) formou parte do governo central. Cidades como Freiburg im Breisgau dispõem de modernas instalações para o aproveitamente da energia solar.


Geografia

Os Alpes vistos da Baviera. Os Alpes vistos da Baviera.

A Alemanha estende-se desde as altas montanhas dos Alpes (o ponto mais elevado é o Zugspitze com 2 962 m) no sul até às costas do mar do Norte e do mar Báltico no norte. Pelo meio, estendem-se as terras altas, florestadas, da Alemanha central e as terras baixas da Alemanha do norte (o ponto mais baixo é o Neuendorfer/Wilstermarsch, com -3.54 m), atravessadas por alguns dos maiores rios da Europa, como o Reno, o Danúbio e o Elba.

A República Federal tem fronteiras a norte com a Dinamarca, a leste com a Polónia e a República Checa, a sul com a Áustria e a Suíça e a oeste com a França, o Luxemburgo, a Bélgica e os Países Baixos.


Clima

O clima temperado, é por vezes imprevisível no país. No pino do verão, um dia pode ser quente e solarengo e o dia seguinte frio e chuvoso. No entanto, condições climatéricas verdadeiramente extremas, como secas severas, tornados, tempestades de granizo, frio ou calor extremo etc., são extremamente raras. Houve duas inundações de grande escala nos últimos anos, mas em geral também estas são raras. Não há notícia de sismos destrutivos.


Demografia

Crescimento da população Alemã desde 1961 Crescimento da população Alemã desde 1961

A Alemanha é o segundo país mais populoso da Europa, sendo superado apenas pela Rússia. A afluência à zona ocidental de alemães doutros pontos do país e de imigrantes de diferentes nacionalidades, assim como a tendência ao estancamento do crescimento vegetativo, têm sido as principais características da evolução demográfica.

A maior parte da população descende de diversos grupos germânicos que se estabeleceram na região centro-europeia no primeiro milénio antes da era cristã. Esses grupos partilhavam a mesma língua, embora expressa em muitos dialetos, mas apresentavam características étnicas heterogéneas que acentuaram-se ao longo da história em consequência da fusão com outros povos, como os celtas e os eslavos. O alemão é a língua oficial, sendo a primeira língua de 91% dos alemães.

Na moderna Alemanha, as diferenças humanas e linguísticas das várias regiões atenuaram-se, embora a prolongada divisão política tenha gerado certas peculiaridades culturais que distinguem os alemães do leste daqueles do oeste. A chegada de imigrantes à Alemanha Ocidental na segunda metade do século XX compensou as perdas humanas ocasionadas pela Segunda Guerra Mundial, estimadas em cerca de três milhões de pessoas, na maioria jovens do sexo masculino.

Além da população de origem germânica, convivem na antiga Alemanha ocidental diversas minorias étnicas de nacionalidade alemã, como judeus, eslavos e dinamarqueses, assim como franceses descendentes dos huguenotes fugidos do seu país no fim do século XVII. Os trabalhadores imigrantes, chegados à Alemanha sobretudo nas décadas de 1960 e 1970, eram principalmente turcos, iugoslavos, italianos, gregos, espanhóis e portugueses.

Na Alemanha Oriental, que constituiu um país autónomo de 1949 a 1990, as perdas humanas provocadas pela guerra foram compensadas com o ingresso de vários milhões de alemães expulsos da Polônia, da Tchecoslováquia e da Hungria. Contudo, as dificuldades económicas derivadas do pagamento das indenizações da guerra e da política de coletivização estimularam o movimento migratório para a Alemanha ocidental, calculado em 1,7 milhão de pessoas.

A interrupção do crescimento da população e mesmo a redução desta incluem-se entre as características mais notáveis da evolução do país nas últimas décadas do século XX, tanto na zona ocidental como na oriental. Isso traduz-se num envelhecimento da população, isto é, no aumento dos grupos de idade mais alta em relação à população jovem, em consequência dos baixos níveis de natalidade e do prolongamento da expectativa de vida[2].

Atualmente a Alemanha conta com uma população de 82,4 milhões habitantes. A composição étnica atual é a seguinte:

EtniaPercentagem (%)
Alemães e outros europeus 96,3
Turcos 2,1
Asiáticos 1,0
Africanos 0,3
Americanos 0,2


Religião

Catedral de Colónia Catedral de Colónia

As maiores confissões religiosas na Alemanha são o Catolicismo e o Luteranismo (Protestantismo na tradição de Martinho Lutero), respectivamente, com 32,3% e 32,9% de fiéis[3].

Cerca de 24,9% de alemães se declararam não religiosos ou ateus. Seguem como minorias, Islamismo (4%), seguido por Judaísmo e Budismo (ambos com 0,2%). Outras religiões correspondem a 150 mil pessoas ou 0,15% da população alemã[3].

Desde Martinho Lutero e a Reforma Protestante que a Alemanha foi o palco de conflitos religiosos entre os luteranos, geralmente mais numerosos no norte, e os católicos, regra geral mais fortes no sul. No entanto, a distribuição das religiões está longe de ser homogênea. Na Alemanha prevaleceu o princípio Cuius regio, eius religio.

Uma região marcada pelo feudalismo, na Alemanha do tempo dos conflitos religiosos, os súbditos tinham de adotar a religião defendida pelas autoridades (os nobres) da região em que viviam. Caso contrário, eram freqüentemente obrigados ao exílio. O resultado desta evolução é uma manta de retalhos quanto às confissões religiosas e o atraso da unificação alemã que já aspirava por isso antes da Reforma Luterana.

Zonas de maioria católica são a Baviera (praticamente toda a Baviera, um estado conservador), a zona do Reno (Colónia, Bonn, Koblenz). Zonas de maioria luterana são os estados do leste e norte (Berlim, Hamburgo) e a região da Baden-Württemberg (Stuttgart) no sudoeste. No norte, ao longo da fronteira com os Países Baixos, há também a presença de calvinistas (ou Igreja Reformada, como eles se intitulam).

Nos dias atuais, convém destacar também o cada vez mais crescente número de pessoas como ateus e agnósticos que não seguem nenhuma religião, uma tendência constatada tanto na Alemanha quanto em outros países europeus.


Educação

Na Alemanha, o verdadeiro responsável pelo sistema de ensino são os estados (Bundesländer), enquanto o governo desempenha apenas um pequeno papel. O Jardim da Infância é opcional e é fornecido a todas as crianças entre três e quatro anos de idade. Após esta fase, deve-se frequentar a escola por doze anos (Schulpflicht).

A educação primária normalmente dura quatro anos. Já a educação secundária inclui quatro tipos de escolas baseadas nas habilidades do aluno de acordo com as recomendações do professor: o Gymnasium inclui as crianças mais bem dotadas e as prepara para o estudo universitário; a Realschule tem uma grande gama de conteúdo para estudantes intermediários; a Hauptschule prepara o aluno para uma escola profissionalisante e a Gesamtschule, ou escola integrada, que combina os três caminhos.

Universidade de Münster. Universidade de Münster.

Para entrar em uma Universidade ou escola superior, é necessário que os estudantes prestem uma prova chamada Abitur. Apesar disso, os estudantes que possuem um diploma de uma escola profissionalisante também possam entrar. Um sistema especial de aprendizado chamado Duale Ausbildung (dupla qualificação) permite que o aluno em treinamento profissional estude em uma empresa, ao invés de estudar nas escolas normais.

Apesar de a Alemanha ter uma história de forte sistema educacional, recentemente o Programa Internacional de Avaliação dos Alunos mostrou certos problemas em algumas matérias. Em um teste com 31 países no ano de 2000, a Alemanha ficou em vigésimo primeiro lugar em leitura e em vigésimo em matemática e ciências naturais, alertando a necessidade de uma reforma no sistema de ensino alemão[Carece de fontes?].

Na avaliação anual das universidades mundiais feita pela Universidade Shanghai Jiao Tong em 2004, a Alemanha ficou em quarto lugar na listagem geral com sete universidades entre as 100 melhores. A melhor universidade alemã foi a Universidade Técnica de Munique[Carece de fontes?].

A maioria das universidade alemãs são públicas, financiadas pelo estado e até há pouco não era necessário pagar qualquer tipo de taxa para frequentá-las. No entanto, a reforma da educação em 2006 mudou esse sistema e agora cada aluno deve pagar 500 euros por semestre[Carece de fontes?].


Cultura

Johann Wolfgang von Goethe, maior escritor alemão, em 1828, retratado por Joseph Karl Stieler. Johann Wolfgang von Goethe, maior escritor alemão, em 1828, retratado por Joseph Karl Stieler.

As contribuições da Alemanha para o património cultural da humanidade são numerosas, o que leva alguns autores a aceitar o "Génio Alemão", celebrado no Romantismo (uma das fases da história da arte onde a Alemanha teve uma proeminência invejável). País conhecido por muitos como das Land der Dichter und Denker (A terra dos poetas e dos pensadores), a Alemanha foi o berço de vultos importantíssimos na história da Arte, como se pode verificar nas várias seções deste artigo. Já para aqueles que vêem no romantismo alemão o signo do nacionalismo e o pendor irracional que culminaria em Adolf Hitler, Karl Kraus forneceu um lema alternativo: Em vez de "Land der Dichter und Denker", Kraus chama-lhe "Land der Richter und Henker" (terra dos juízes e carrascos). Ver também Sturm und Drang.

Ludwig van Beethoven, compositor clássico alemão. Ludwig van Beethoven, compositor clássico alemão.

O país é um centro tradicional da ciência na Europa. Especialmente no século XX, as pesquisas foram revolucionárias. Cerca de 1/3 dos prémios Nobel (química e física) foram laureados a cientistas alemães entre 1901 e 1933.

A língua alemã e os seus dialetos foram, outrora, a língua franca da Europa Central, oriental e setentrional. Hoje, o alemão é uma das línguas que despertam mais interesse por parte dos estudantes de línguas em todo o mundo, principalmente por causa da possibilidade que o governo aos poucos está conseguindo dar aos estudantes estrangeiros que pretendem estudar na Alemanha. Muitas figuras históricas, ainda que não sendo alemãs, no sentido moderno da palavra "alemão", estiveram imersas na cultura germânica, como é o caso de Wolfgang Amadeus Mozart, Gustav Mahler, Franz Liszt, Immanuel Kant, Franz Kafka, Nicolau Copérnico ou Franz Joseph Haydn (compositor da melodia do Hino nacional da Alemanha).


Desporto

Estádio Olímpico de Berlim Estádio Olímpico de Berlim

A Federação Alemã de Esportes Olímpicos (DOSB) conta com 27 milhões de membros. Segundo dados dessa organização, aproximadamente um terço da população do país realiza práticas esportivas em clubes ou em alguma das 127.000 instalações de caráter esportivo que existem no território[4].

Durante os últimos anos, a DSB vem melhorando os recursos destinados ao esporte paraolímpico.[Carece de fontes?]

A participação alemã nos Jogos Olímpicos é de destaque desde que se realiza esse evento. Na edição de 2004 em Atenas, a Alemanha terminou em sexto na classificação[5]. O país organizou os Jogos Olímpicos de Verão em 1936 e em 1972 como Alemanha Ocidental. Já nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006, terminou em primeiro no quadro de medalhas.[6]

A Federação Alemã de Futebol conta com mais de 26.000 clubes, totalizando cerca de 6 milhões de membros, o que a faz ter maior número de associados do que qualquer outra federação esportiva do mundo.[4] O futebol é um esporte de grande sucesso na Alemanha e a Seleção nacional de Futebol alemã conseguiu três títulos mundiais (em 1954, 1974 e 1990). O país também foi sede das Copas do Mundo de 1974 e 2006.


Forças Armadas

Símbolo da Bundeswehr. Símbolo da Bundeswehr. Infantaria alemã treinando em 2004 e tropas americanas observando no fundo. Infantaria alemã treinando em 2004 e tropas americanas observando no fundo.

As forças armadas alemãs, a Bundeswehr, são compostas pelo Exército (Heer), Marinha (Marine), Aeronáutica (Luftwaffe), Central Médica de Serviços (Zentraler Sanitätsdienst) e Streitkräftebasis.

O serviço militar é obrigatório para homens na idade de 18 anos que servem por 9 meses. Em 2006, as despesas militares constituíam cerca de 1,3% do PIB alemão. Em tempos de paz, a Bundeswehr é comandada pelo Ministro da Defesa, atualmente Franz Josef Jung. Mas em tempos de guerra - que, de acordo com a constituição, é apenas permitida em caso de defesa - o Chanceler recebe o cargo de comandante real da Bundeswehr.

Em outubro de 2006 as forças armadas alemãs tinham 9 mil tropas estacionadas em países estrangeiros, que faziam parte de várias forças de paz, incluindo 1180 tropas estacionadas na Bósnia, 2884 soldados alemães em Kosovo, 750 soldados estacionados como parte da EUFOR na República Democrática do Congo e 2800 tropas alemãs no Afeganistão.


Ciência e Tecnologia

A Alemanha foi e continua sendo o país natal de muitos pesquisadores importantes nas mais variadas áreas da ciência. O trabalho de Albert Einstein e de Max Planck foi importante para formar as bases da física moderna. Hermann von Helmholtz, Joseph von Frauenhofer e Gabriel Daniel Fahrenheit foram importantes psiquiatras alemães. Wilhelm Conrad Röntgen descobriu os Raios-X que tiveram um papel muito importante nos diagnósticos médicos e que fez seu inventor ganhar o primeiro Prêmio Nobel de Física de 1901. Wilhelm Wundt fez com que a psicologia fosse aceita como uma ciência independente. Wundt criou também o primeiro laboratório na Universidade de Leipzig em 1879. O trabalho de Alexander von Humboldt, cientista natural e pesquisador, foi fundamental para a biogeografia. Vários matemáticos importantes nasceram na Alemanha, incluindo Carl Friedrich Gauss, Richard Dedekind, David Hilbert, Carl Gustav Jakob Jacobi, Bernhard Riemann, Felix Klein, Georg Cantor, Karl Weierstrass e Hermann Weyl.

Muitos famosos engenheiros e inventores nasceram na Alemanha, como Johannes Gutenberg, que inventou os tipos móveis na Europa. Hans Geiger e Wernher von Braun também eram alemães.

Inventores, engenheiros e industriais, como von Karl Drais, Nikolaus Otto, Ferdinand von Zeppelin, Wilhelm Maybach, Gottlieb Daimler, Konrad Zuse, Rudolf Diesel, Karl Benz, Ferdinand Porsche e Hugo Junkers contribuiram para o transporte aéreo e terrestre atual. Robert Bosch, Alfred Krupp, Ernst Werner von Siemens são também importantes figuras para a história da tecnologia alemã.


Feriados

DataNome em portuguêsNome localObservações
1º de janeiro Ano Novo Neujahr Início do novo ano civil
6 de janeiro Epifania Dreikönig  
Março ou abril Sexta-feira santa Karfreitag  
Março ou abril Páscoa Ostern  
1º de maio Dia do Trabalho Tag der Arbeit  
Maio ou junho Ascensão de Cristo/D. dos Pais Christi Himmelfahrt / Vatertag 40 dias após a páscoa
Maio ou junho Pentecostes Pfingsten  
Maio ou junho Corpus Christi Fronleichnam  
3 de outubro Dia da Unidade Alemã Tag der Deutschen Einheit  
31 de outubro Festa da Reforma Reformationstag  
1º de novembro Dia de todos os santos Allerheiligen  
25 de dezembro Natal Weihnachten Nascimento de Jesus Cristo

Nem todos os feriados alemães são celebrados em todos estados federados. Por exemplo, na Baviera não se celebra a Festa da Reforma pois a maioria da população é católica. Como outro exemplo, em estados com maioria luterana como Hamburgo não se comemora o Allerheiligen (Dia de todos os santos).A Alemanha (em alemão: Deutschland) é um país da Europa ocidental membro da União Européia. O Estado alemão é uma república federal parlamentarista, limitada a norte pelo Mar do Norte, pela Dinamarca e pelo Mar Báltico, a leste pela Polónia e pela República Checa, a sul pela Áustria e pela Suíça e a oeste pela França, Luxemburgo, Bélgica e Países Baixos. A capital é Berlim e a língua nacional oficial é o alemão.

O termo "Alemanha" deriva do francês Allemagne (ou terra dos alamanos), em referência a um povo bárbaro que vivia na atual região fronteiriça entre França e Alemanha, o qual cruzou o Rio Reno e invadiu a Gália Romana durante o século V.

Durante a maior parte da sua história, a Alemanha foi um termo geográfico utilizado para designar uma área ocupada por vários reinos. Tornou-se um Estado unificado durante 74 anos (1871 - 1945), porém foi dividida ao término da Segunda Guerra Mundial em Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental.

A 3 de outubro de 1990, a Alemanha Oriental passou a fazer parte da Alemanha Ocidental, e assim a Alemanha tornou-se novamente uma nação unida. Actualmente a Alemanha carrega o título de nação mais poderosa da Europa, graças à sua grande economia e desenvolvimento tecnológico.

 
< Anterior   Próximo >