Resumo O último voo do flamingo - Mia Couto

Resumo do Livro O último voo do flamingo de Mia Couto.

Resumo O último voo do flamingo - Mia Couto
O Último Voo do Flamingo

O último voo do Flamingo é mais uma viagem nas letras do consagrado escritor moçambicano Mia Couto a quem vos introduzo (Mia Couto nasceu na Beira - Moçambique -África em 1955, é biólogo de profissão, já publicou : 1. Vozes anoitecidas 2. Cada homem é uma raça 3. Cronicando 4. Terra Sonânbula 5. Estórias Abensonhadas 6. A varanda de Frangipani 7. Contos do Nascer da Terra 8. Vinte e Zinco 9. Raiz de Orvalho e outros Poemas 10. O último Voo do flamingo. Muitas de suas obras estão traduzidas para espanhol, Francês, Italiano, alemão, sueco, norueguês e holandês. Já recebeu vários prémios entre eles O prémio Virgílio Ferreira 1999. 

O último Voo do Flamingo é um romance que conta os primeiros anos pós Guerra em Moçambique envolvendo a intervenção dos capacetes azuis -Nações unidas, o povo de uma vila com os seus atractivos como a prostituta, a velha-moça, o tradutor, o padre, a figura da mulher do Administrador e o mistério da feitiçaria Africana. A narração passa-se na vila de Tizangara" um nome fictício africano", onde chega uma delegação de soldados das Nações Unidas que vigiam o processo de paz, tudo parece estar a correr bem, quando os soldados começam a desaparecer misteriosamente através de explosões sem explicação (não eram causadas por nenhum engenho - minas ou outro armamento) ficando apenas como sinal de existência do corpo o pénis através do qual a prostituta da vila descobria a identidade do dono, isso provoca a preocupação das Nações Unidas que manda seu delegado o Italiano Massimo Risi, que fica incumbido de descobrir a causa das explosões só dos capacetes azuis, Massimo vem a Africa com seus métodos avançados de investigação convencido que iria descobrir o mistério e com isso obter a tão esperada promoção. 

Quando chega a vila depara-se com os mistérios africanos, que por vezes fazem desaparecer as letras dos seus relatórios, as suas gravações e conhece a moça-velha Temporina que tem cara de velha mas tem corpo de jovem (por causa de ter passado da idade sem ter dormido com 1 homen), com temporina ele transa mas quando isso acontece ele sempre pensa que esta a sonhar, nutre um desejo pela prostituta mas não pode transar com ela porque os homens de Tizangara ao verem suas mulheres a meterem-se com os soldados, encomendam o feitiço que faz com que os homens que com elas se metam explodam na hora do orgasmo, entra também o tradutor que não é na verdade tradutor de nenhuma língua, mas é acompanhante de Massimo e traduz para ele muitas das realidades africanas e é o nosso narrador, a esposa do administrador que usa e abusa do cargo do marido para ter todos os privilégios, usurpa os bens do Povo e manda mais que o próprio administrador, a prostituta que encomenda no feiticeiro Andorinho um feitiço para proteger Massimo do feitiço da explosão, mas que depois é usada como bode expiatório pelos dirigentes da Vila para justificar a miséria e as desgraças da vila perante o povo. Enfim este romance mistura a verdade e ficção; verdade do que tem acontecido em algumas vilas moçambicanas e africanas suburbanas (destruição, abuso do poder dos chefes, superstição, desconhecimento de alguma tecnologia avançada) e no seu estilo Mia couto prende o leitor até ao desfecho do romance