A POÉTICA DA ÁGUA

ImageA POÉTICA DA ÁGUA: uma leitura fenomenológica de Thiago de Mello e de García Lorca revela toda a extensão da sensibilidade da Autora que mergulha nos poemas de Thiago de Mello e de García Lorca para aí encontrar o elemento comum: o devaneio diante da água.

Emergindo da profundeza das águas de Thiago de Melo e de García Lorca, o texto de Conceição Ramos é um sedutor convite ao leitor para navegar, com ela, no universo amazônico exuberante de água e no universo granadino árido e seco, eternamente apaixonado pela água, aí tão escassa.
          
A "água doce/vida" e a chuva franciscana" são a fonte onde a Autora leva o leitor a beber a seiva frutificadora dos seus devaneios esfomeados de terra e em busca ávida da "água/sêmen do rio e/ou da chuva".
         
Literalmente arrastado pela correnteza do texto poético de Conceição Ramos, o leitor embarca no jogo de sedução da palavra, do qual lhe é impossível escapar, tão preso está às imagens aquáticas de Thiago de Mello e de García Lorca que lhe são reveladas.

Pesquisar

Compartilhe

Neste momento

Temos 58 visitantes e Nenhum membro online

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba as novidades sempre em seu e-mail.

© 2019 SOSEstudante.com. Todos os direitos reservados.

Pesquisar