Resumo sobre O Sentido da Vida

Trabalho pronto escolar de psicologia sobre O Sentido da Vida.

 192
Resumo sobre O Sentido da Vida

O Sentido da Vida 

Por que estamos aqui ?

Quem ou o que fez o mundo ?

Por que nós ?

De  onde viemos ?

Para onde vamos ?

Por que existe alguma coisa e não nada ?

Qual é a minha verdadeira missão ?

Por que sou assim e os outros são de outro jeito ? ...

Na história  do mundo  essa  dúvida  sempre  foi  objeto de reflexões, temores, confrontos, desespero, etc. E as Ciências, as Artes, as Religiões e todas as correntes tentam se aprofundar nestas respostas, às vezes se distanciando ainda mais das questões, como podemos observar através dos tempos.

O  que  sabemos  hoje ?

O Universo é finito, tendo surgido há 15 bilhões de anos.

É composto de matéria e energia, distribuídas em 200 bilhões de agrupamentos chamados Galáxias, sendo uma , a chamada Via Láctea. Nela , há 100 bilhões de estrelas e , em torno do Sol, uma pequena estrela de 5ª grandeza, orbitam massas planetárias diminutas, sendo uma, nosso planeta, a Terra.

Aqui na Terra vivem mais de 3 milhões de espécies de diferentes de seres vivos, sendo que só a espécie humana possui mais de 5 bilhões de indivíduos. E apenas um é cada um de nós ! Somos irreptíveis, pois não só a carga genética, mas também as nossas experiências de vida são únicas. 

Enfim ...

Somos  um  em  mais de 5 bilhões de seres humanos , representando uma espécie  entre 3 milhões diversas, vivendo em um planeta que gira em volta de uma estrela , situada no meio de 100 bilhões que compõem uma das  200  bilhões de galáxias  existentes.

E somos talvez a única espécie que tem consciência de que viverá em torno de 60 ou 70 anos e depois morrerá. Talvez por isto que nos sentimos diversas vezes perdidos, com uma sensação de angústia e abandono universal. Afinal, pensamos :  para que tudo isto , para depois acabar ?

« O Homem formado pela angústia é formado pela possibilidade e só aquele que a possibilidade forma , está formado na sua infinidade. » 

(Kierkegaard)

Existem pessoas que fazem de objetos, o sentido e a razão de seu viver. Idolatram carros caros, casas imensas, roupas, joias ... enfim, querem acumular coisas (mortas / sem vida) e se esquecem de cultivar sentimentos bons por pessoas, animais e pela natureza como um todo. E geralmente, por substituírem valores humanos e essenciais por materiais, sofrem a angústia da solidão, não conseguindo mais enxergar a beleza da vida. 

O amor desenfreado pelo dinheiro e por coisas, torna as pessoas mais vazias, insensíveis, infelizes, inseguras e mais angustiadas. A consciência que temos que ter é que o dinheiro é que tem que nos servir, jamais nos tornando escravos dele e deixando a essência de nossa vida de lado. 

Só podemos nos encontrar quando nos libertarmos das amarras com um mundo somente material. Mas o conforto e a apatia da não reflexão, são mais fáceis e simples do que buscar a essência de nossa existência. Pelo homem estar mergulhado no mundo é que é um homem e não somente uma ideia. E a real essência de sua vida é a sua própria existência, pois a vida é um dom, um presente ... uma busca pelo sentido. O homem é poder ... poder ser o que ele quiser ser. O homem é possibilidade, é projeto, é opção ... É o homem e somente ele que confere sentido a todas as coisas. Somente ele,

 pois as coisas por si só não têm sentido. 

O homem tenta fugir de sua capacidade de ser ele mesmo, o que lhe confere um alto grau de responsabilidade, através da busca desenfreada pelo ter. Mas o nosso eu verdadeiro está em nossa existência autêntica, e este eu falso que às vezes criamos por seguir aos apelos do mundo, só gera frustração. Este eu falso superficiais as relações e gera os pré-conceitos, fazendo com que nos tornemos infelizes.

Lembre-se : A vida é curta, breve e finita ... por isto mesmo que é fundamental que a nossa vida valha a pena. Precisamos vivê-la em sua plenitude, pois somos importantes e únicos entre muitos !!! Únicos !

O Sentido da Vida

Para a vida ganhar sentido (significado / direção), é necessário que criemos valores para o existir humano, pois, inventando valores, para as estruturamos uma hierarquia coisas e acontecimentos, de modo a estabelecer uma ordem na qual tudo se localize e encontre seu lugar apropriado.

O mundo construído por nós é o nosso lugar e precisamos nos situar neste lugar, buscando viver harmoniosamente, para sermos felizes. Os valores criam uma moldura onde enquadramos nossos atos e pensamentos, situando-os em um visão de mundo (compreensão da realidade) que informe (dê forma) os nossos conceitos (nossos entendimentos) e, a partir deles, guiamos a nossa existência. São abstratos e, quando são conceitos prévios, que antecedem as nossas ações, são chamados de pré-conceitos.

Por isto que, quando enfrentamos alguém no campo de seus valores e preconceitos, a reação pode ser forte, pois não estamos apenas confrontando ideias, mas sim, pontos de apoio de sua existência. Mas, valores e preconceitos podem mudar porque humanos devem mudar, pois a vida é processo e processo é mudança.

E só o ser humano é capaz de ser diferente ... pois pode ter consciência de tudo isto e muito mais. E pode mudar toda a sua vida, portando-se diferente daqui para frente. Aprendendo com as lições do passado, vislumbrando as visões do futuro e construindo, 

passo a passo, com amor e dedicação o seu tempo presente.