Resumo sobre os Vertebrados

Trabalho pronto de biologia sobre vertebrados.

 56
Resumo sobre os Vertebrados

Segundo o antigo sistema de classificação dos organismos vivos (sistema tradicional de classificação), o subfilo Vertebrata, pertencente ao Filo Chodata (animais que possuem notocorda em alguma das suas fases de vida), é representado por cinco Classes, sendo estas:

Classe Pisces: Peixes de forma geral. Habitantes de ambientes aquáticos (marinhos ou de águas doces), com tubo digestivo completo semelhante ao humano, circulação fechada e coração bicavitário, respiração branquial na grande maioria e grande diversidade de modos reprodutivos, prevalecendo a fecundação externa e a existência de uma fase larval (alevinos). Esta é a maior classe de vertebrados, com mais de 51% das espécies.

Subclasse Agnatha: Feiticeiras e lampreias – ausência de mandíbula e representantes marinhos e dulcícolas.

Subclasse Chondrichthyes: Tubarões, cações, raias e quimeras – são os chamados peixes cartilaginosos por não apresentarem um esqueleto ósseo e sim formado por cartilagem. Representantes marinhos e dulcícolas.

Subclasse Osteichthyes: Todos os outros peixes, também conhecidos como peixes ósseos por possuírem um esqueleto ósseo. Representantes marinhos e dulcícolas.

Classe Amphibia: Salamandras, sapos, rãs, pererecas e cobras-cegas. O nome do grupo se refere ao fato destes animais apresentarem uma fase larval aquática (o girino dos sapos) e uma fase adulta terrestre (Amphi=dois; Bio=vida). Mas o nome não se faz muito adequado pois os modos reprodutivos e o tipo e local de desenvolvimento dos animais pode variar muito dentro dos diversos grupos da desta classe.

São animais de pele lisa e muito umedecida, que  ajuda nas trocas gasosas. Outras características são um coração tricavitário, hábitos alimentares geralmente carnívoros com um curto tubo digestivo para aproveitamento dos alimentos. Os tipos de respiração são os mais variados, prevalecendo na maioria a respiração pulmonar associada à respiração cutânea. Mas as fases larvais aquáticas possuem respiração branquial e alguns grupos retêm as brânquias na fase adulta, passando toda sua a vida na água. 

Ordem Urodela (ou Caudata): Salamandras – Possuem dois pares de patas e cauda.

Ordem Gymnophiona (ou Apoda): Cobras-cegas – Sem patas e com cauda pós-anal muito reduzida.

Ordem Anura – Sapos, rãs, jias e pererecas – Dois pares de patas e ausência de cauda.

Classe Reptilia: Tartarugas, cágados, jabutis, jacarés, crocodilos, aligatores, lagartos, serpentes e cobras. – Segundo o nome, (reptil = aquele que rasteja), estes são os animais de pele áspera e protegida por escamas. Estão distribuídos por todo o mundo e muitas vezes recebem conotações de animais perigosos e peçonhentos (assim como vários anfíbios) caracterização que nem sempre se faz verdadeira e que leva muitas pessoas a matar estes animais indiscriminadamente, sendo que a esmagadora maioria dos répteis é de natureza inofensiva. Como os anfíbios, possuem coração tricavitário mas para realização de trocas gasosas usam exclusivamente os pulmões. Outra característica importante é a presença de ovos com casca que permitiu a estes animais a completa independência da água para reprodução. 

Ordem Testudinata: Tartarugas, cágados e jabutis – Animais com carapaça córnea revestindo o corpo, com hábitos marinhos, dulcícolas e terrestres. 

Ordem Crocodilia: Jacarés, crocodilos, aligatores – Todos predadores de hábitos semiaquáticos, são descendentes da mesma linhagem (os Archosauromorpha) que produziu as aves e os dinossauros. São temidos pelo grande porte (podem atingir 7 metros) mas raramente atacam o homem.

Ordem Squamata:

Subordem Lacertilia: Lagartos – São todos os lagartos conhecidos a exceção do pequeno grupo dos tuatara (subordem Sphenodontia) e a maior parte deles é facilmente reconhecível. 

Subordem Serpentes – São as cobras e serpentes, que por muito se convencionou colocar no grupo denominado Ophidia. Hoje este nome não é mais válido mas muitos ainda cometem equívocos a se referirem a ele. Estes são os répteis ápodes e com grande diversidade. Algumas espécies são venenosas o que leva as pessoas a ter muito receio destes animais sempre evitando e até matando um quando encontram. Mas vários deles são inofensivos, e mesmo os venenosos só atacam quando se sentem ameaçados. 

Classe Aves: Este é o maior grupo de vertebrados terrestres e nele se encontram todas as aves como emas, patos, corujas, gaviões, beija-flores e os pássaros. Por muito tempo imaginou-se que eram mais relacionados a mamíferos por possuírem características como sangue quente e coração tetracavitário, mas hoje se sabe que as aves evoluíram de um grupo de dinossauros fósseis e se assemelham mais aos jacarés do que qualquer outro grupo vivente.

Possuem penas que recobrem o corpo e os membros anteriores são modificados em asas que as possibilitaram conquistar o ambiente aéreo. Seu sistema respiratório é o mais especializado dentre todos os vertebrados e possui um eficiente processo de trocas gasosas. 

Classe Mamallia: São os mamíferos que apresentam como características exclusivas a presença de pêlos e glândulas mamarias. Muitas pessoas consideram estes como sendo os organismos vivos “mais evoluídos”, o que é uma ideia errada, pois é um consenso hoje entre os diversos biólogos que nunca um grupo pode ser considerado mais evoluído ou mais adaptado do que outro já que todos os organismos vivos alcançaram o sucesso de estarem vivos. O que se pode dizer é que mamíferos apresentam maior número de adaptações e por isso obtiveram grande sucesso na conquista dos mais diversos ambientes.

Por fim, é importante dizer que com o advento de novas ferramentas de estudo (uso de fósseis, biologia molecular e sistemática filogenética) o sistema de classificação dos animais tem mudado muito e esta forma de divisão dos vertebrados já está em desuso, apesar de muitos professores ainda a utilizarem. Através dela, grupos como o dos peixes e o dos répteis não são considerados mais como sendo grupos naturais e sua nomenclatura tem sido feita de outra forma atualmente.